Você faz o que você ama?

Você faz o que você ama?

Dá pra ganhar dinheiro fazendo o que ama? Este foi o título do podcast do Primo Rico que achei super curioso e resolvi escutar durante o caminho para o trabalho. O melhor momento para você refletir pois muitas vezes você indo para um trabalho que você não ama de verdade mas continua na inércia por não saber como controlar o destino da sua vida.

Atualmente sempre venho me questionando as grandes transformações no mercado de trabalho e como você vai criar negócios e se relacionar com seus clientes.

Mais do que nunca conseguir criar uma empresa que seja ao mesmo tempo o seu lifestyle é uma das maiores conquistas de uma nova geração, que não vê mais sentido em “fazer carreira” em grandes corporações. Sim, estas grandes empresas que têm uma cultura particular e você praticamente precisa seguir as regras como se fosse entrar para uma nova religião.

Quando estávamos morando em São Paulo, tive a primeira experiência ou contato com a Bolovo, em uma festa na produtora onde também era possível comprar produtos com a marca Bolovo. Acabei comprando o par de meias que me acompanha até hoje sobre karma.

Depois que terminei de escutar o episódio, me fez lembrar também um trecho do livro do Facundo Guerra, onde ele também teve um despertar ao assistir o desfile de uma marca. Sobre como grandes artistas como todos somos, podemos expressar nossos conceitos criando produtos nos princípios que acreditamos.

A Bolovo, de forma orgânica foi criando formato e se desdobrando com os talentos dos sócios e amigos.

Começaram com o foco mais produção de vídeos. E fizeram vários projetos juntos com a MTV Brasil. Logo em seguida foram criando os produtos e eventos relacionados ao conceito Bolovo, que era mais uma piada interna dos amigos, que foi ganhando força.

Atualmente a maior receita da Bolovo são os produtos que são vendidos online e em suas duas lojas: a primeira em Pinheiros e a próxima que está abrindo na Santa Cecília.

Com toda a experiência com produção de vídeos, um canal no YouTube não poderia ser mais óbvio para apresentar este lifestyle que eles criaram.

O conceito de certa forma é como o Virgin vem criando so seus negócios nos últimos anos. Pois uma marca bem construída por vender passagens aéreas, assim como ser uma operadora de celular, uma loja de discos, e muitos outros negócios que carregam de valor junto com a marca construída.

Muitos novos empreendedores tem seguido este caminho como a Virgin, a Zappos, a Bolovo e especialmente como a sul-coreana Superfiction.

Este tipo de empresa não é necessariamente grande ou pequena, ela é o suficiente para manter o lifestyle do seu criador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *