Filmes sobre 바둑

A primeira vez que ouvi falar sobre o AlphaGo, foi quando estava no SXSW em 2016. Estavam explicando sobre inteligência artificial e para deixar um exemplo bem básico o painel explicava: imagine que os neurônios guardam cada informação que você tenha na sua vida, e que a partir de agora nenhum de seus neurônios tenham algum dano, causado por você 🚬 ou eventos externos. E agora imagine que a cada dia que passa você só acumule mais e mais conhecimento, e com isso você consiga interpretar e tomar decisões mais acuradas.

Sim, isso é a inteligência artificial. Neurônios que acumulam mais inteligência e aprendem com isso.

바둑 na minha vida

Me lembro ainda hoje, quando tinha cerca de 5 ou 6 anos de idade, quando meu pai começou a me ensinar 바둑 (baduk ou Go para o nome do jogo em inglês). 

Lembro ainda que voltava da escola e meu pai deixava problemas no tabuleiro para que eu resolvesse até o horário de ele voltar do trabalho. Era um desafio intrigante para mim, mas sempre tudo uma grande brincadeira.

Essa cultura de aprender a jogar baduk desde criança é tão real que existem escolas para aprender e algumas crianças ficam jogando até 10 horas por dia para se tornarem profissionais.

Jogar Go era considerado nobre na antiguidade e comparado à música, poesia e artes.

–Juno Jo

Nos antigos reinados da China, Coréia e Japão, jogar 바둑 era considerado nobre e somente pessoas literatas são capazes de jogar; sendo comparado à outras artes como música, poesia e pintura.

Até hoje ainda existe essa cultura na Coréia onde cerca de 8 milhões de pessoas praticam, jogam e estudam 바둑. 

Documentários no Netflix

Com isso, de alguma forma o algoritmo do Netflix conseguiu me recomendar estes dois documentários que valem a pena serem assistidos.

Comecei pelo The Surrounding Game que conta sobre como o Go começou nos EUA e os primeiros profissionais americanos. E depois assisti ao AlphaGo, um documentário sobre quando a inteligência artificial conseguiu pela primeira vez na história da humanidade ganhar de um ser-humano, no caso o atual campeão mundial Lee Sedol.

É muito interessante ver até a atitude dos profissionais de Go, que no início comentam com certo desdenho sobre algum avanço da computação em vencer no Go. Pois todos fracassaram desde então. Começam a reconhecer os avanços somente depois de algumas derrotas dos grandes profissionais.

A competição até se torna diferente, com um pouco de ficção científica: Humanos vs. Máquinas.

É até triste ver quando o jogador Lee Sedol desiste da partida e solta uma das pedras sobre o tabuleiro.

Sobre o AlphaGo

O AlphaGo foi criado por umas das empresas adquiridas pelo Google, a DeepMind em Londres. E pelo que entendi o software tem 3 componentes principais:

  • Policy Network: onde têm gravado em sua base de dados mais de 100 mil jogos e aprendeu com isso a jogar.
  • Value Net: feito para avaliar a posição no tabuleiro e a probabilidade de ganhar na determinada posição.
  • Tree Search: procura diferente variações de jogadas e tenta prever o que pode acontecer no futuro.

Então, o Google levou todas?

Aqui é onde mora o Diabo, o Google não conseguiu levar todas, o Lee Sedol fez uma jogada de gênio, comparado a um movimento de Deus. Pois até o AlphaGo achou que a probabilidade da jogada ser boa foi de apenas 0,0007%. Mas foi o suficiente para confundir o AlphaGo e a estratégia de jogo do Lee Sedol ser bem-sucedida.

Infelizmente foi só a única vez que o humano ganhou da máquina.

O futuro do AlphaGo…

Essa evolução da inteligência artificial será aplicada em diversos momentos em nossas vidas futuras, em todas as opções que serão colocadas para nós pois a máquina saberá mais de nós, do que nós mesmos. Um triste fim a liberdade humana.

O mais intrigante para mim é que apenas em 2016, depois de tantos avanços tecnológicos, somente agora o computador consegue ganhar do ser-humano no jogo de tabuleiro mais antigo do mundo.

Acredito que quando atingirmos 100% de vitórias os ET’s voltarão para o planeta Terra, pois iremos alcançar outro nível intelectual para se comunicar com eles.

O mais hilário em tudo isso, é saber que a humanidade avança tanto na tecnologia para ficar exibindo publicidade para você, e não conseguem inventar uma solução para calvice. Isso sim faria o Google ganhar muito mais dinheiro no futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *