Try Organic Food

Fiquei muito feliz em receber o cartão da Ally, aluna do bootcamp full time. Realmente compartilhar o conhecimento e ajudar novas pessoas a alcançarem os seus objetivos é gratificante.

O cartão tem tudo a ver com o meu amadurecimento em relação à alimentação junto com a Daphne, ela me ensinou muito sobre alimentação.

Aproveite e siga a jornada da Ally no Instagram.

As 7 perguntas que vão te fazer em uma entrevista para UX Design

(E como se preparar para elas)

Conseguir um emprego é um trabalho árduo. Embora seja impossível saber (de antemão) a resposta a todas as perguntas que um entrevistador lhe faz, há algumas perguntas comuns para as quais você pode se preparar. Pregar as respostas a elas não garante um emprego, mas elas aumentam suas chances de sucesso. Apenas lembre-se de adaptá-los para cada entrevista individual com base na descrição do cargo e na empresa.

Abaixo está minha lista de sete questões fundamentais da entrevista UX, juntamente com dicas e truques sobre como respondê-las.

1. O que é o design UX? Por que isso é importante? Como você explicaria o processo de UX design?

O que eles estão tentando descobrir: você tem o básico certo?

Embora essa seja uma pergunta bastante geral, não forneça respostas gerais. Concentre-se em dar uma definição específica que esclarece quem você é como designer. Sua explicação deve ser clara e acessível. (Imagine que você está explicando para uma criança de 10 anos).

Para a pergunta “por que isso importa”, use-a como uma oportunidade para mostrar sua paixão pela abordagem da empresa ao design. Você também pode usá-lo para contar uma história que forneça contexto para a sua própria perspectiva de design e enfoque a importância das experiências centradas no ser humano.

Ao responder a pergunta “Como você explicaria o processo de design UX?”, Concentre-se em cada uma das seguintes áreas:

Dica: concentre sua definição de design de experiência em torno da empatia e a importância de entender as pessoas para quem você está projetando. Isso geralmente significa que, como designer de UX, você deve se esforçar para criar pesquisas e entrevistar usuários para aproveitar os dados.

2. Qual é o seu processo de design? Descreva os métodos de design que você segue.

O que eles estão tentando descobrir: você pode fazer backup de suas palavras com um ótimo trabalho?

Ao explicar seu processo de design, você pode descrever sua abordagem em potencial para um projeto típico (bom) ou pode explicar como você fez isso no passado em outros projetos (melhor). Caminhe seu entrevistador através de seu (s) projeto (s) usando histórias:

  • Siga um típico arco de história: fundo, oportunidade, processo, altos e baixos ao longo do caminho e o resultado final.
  • Seja específico quando falar sobre os passos que você deu desde a concepção até a conclusão do projeto.
  • Reconheça seu contexto de design: diferentes situações de UX exigem diferentes processos de UX. É uma força usar seu ambiente para determinar o processo que funciona melhor para uma situação específica.

Não tenha medo se seu processo não for o mesmo de outros designers. O que importa é sua capacidade de explicar a lógica por trás de sua abordagem.

Dica: é uma boa ideia falar sobre uma abordagem centrada no usuário para o design, que segue um entendimento completo dos objetivos do usuário e da empresa. Mas é mais poderoso mencionar isso no contexto de um projeto específico.

Crédito: Usabilla

Você provavelmente desejará tocar em cada uma das seguintes técnicas no contexto de seu (s) projeto (s):

  • Pesquisa do usuário: Quais métodos você usou? Por que você escolheu usá-los?
  • User Personas: Qual foi o seu processo de criação de personas? Quantas “personas” você criou? Como eles te ajudaram?
  • Mapa da jornada do cliente e fluxos de usuários: o que o mapa de jornada do cliente incluiu?
  • Protótipos e Wireframes: descreva como você evoluiu de protótipos de baixa fidelidade (por exemplo, um esboço em um pedaço de papel) para protótipos de alta fidelidade (por exemplo, protótipos interativos do Adobe XD). Quantas iterações foram feitas durante a prototipagem e quais foram elas? Quais desafios você enfrentou?
  • Métricas e análises: explique por meio de dados quantitativos o aumento em inscrições, vendas ou outras conversões como resultado de suas decisões de design.

3. Qual é o seu processo para trabalhar com outros designers, desenvolvedores ou gerentes de produto?

O que eles estão tentando descobrir: você tem uma cultura adequada?

Seu entrevistador quer ter uma noção do seu estilo de trabalho. O design é um esporte de equipe e, como designer de experiência do usuário, é essencial que você saiba como comunicar com eficiência as decisões de design com a equipe desde o início do projeto até a implementação.

Tenha em mente que cada membro da equipe provavelmente vê um determinado projeto através de diferentes lentes contextuais, mas você precisa ser capaz de se comunicar com todos eles para detectar rapidamente quaisquer problemas ou mal-entendidos.

Créditos: Melissa Perri

A capacidade de empatia e entender as motivações das pessoas ao seu redor é crucial. Desenvolvedores, gerentes de projeto e outros designers terão suas necessidades e objetivos específicos, e se você puder demonstrar que está ouvindo todos eles, será bem recebido:

  • Desenvolvedores – Para uma colaboração eficaz com engenheiros, tente entender a pilha de tecnologia e tenha uma boa noção de restrições e oportunidades.
  • PMs – Para trabalhar bem com os gerentes de produto, lembre-se de traduzir os protótipos em especificações adequadas, geralmente na forma de histórias detalhadas.
  • Designers – Designers normalmente têm ciclos contínuos de emparelhamento e siloing, seguidos por sessões críticas estruturadas. Ter autoconhecimento sobre a maneira como você trabalha e demonstrar flexibilidade é a chave para o sucesso.

Dica: Ao responder a essa pergunta, pergunte ao seu entrevistador para descrever a estrutura atual da equipe, funções e processos existentes. Pergunte por quaisquer problemas que eles estejam enfrentando no momento. Você pode estruturar sua experiência em termos de solução de problemas. Deixe o entrevistador ver o quanto você é apaixonado por trazer suas habilidades e experiência não apenas para a posição, mas para a própria empresa.

(Leia isto para saber mais sobre a importância de encontrar um emprego que realmente se adapte ao seu estilo de trabalho.)

Como você decidiria quais recursos adicionar ao seu produto?

O que eles estão tentando descobrir: você é capaz de validar ou rejeitar uma hipótese para criar uma nova solução?

Esta é uma pergunta muito difícil de responder porque é muito dependente do contexto. Se a pergunta for feita no contexto da construção de um novo software, você pode falar sobre como um MVP (produto mínimo viável) poderia ser desenvolvido.

Crédito: Brainhub

Se a pergunta for feita no contexto de um produto existente, você deve se concentrar nos fundamentos da estratégia de produto. Antes de detalhar recursos específicos, você precisará desenvolver uma imagem clara das metas de negócios e das necessidades do usuário. Você deve estar pronto para responder às seguintes perguntas:

  • Quem é o usuário?
  • Quais são os objetivos do usuário?
  • Por que o usuário deve se preocupar com um recurso? Que problemas isso resolve?

Dica: este também é um ótimo momento para mostrar como você usaria a pesquisa de usuários para validar as decisões de design. Muitas vezes, quando se depara com um desafio, reunir muitos dados gerados pelo usuário pode ajudar o projetista a avançar. Depois que dados suficientes tiverem sido coletados e as metas do usuário tiverem sido validadas, você poderá determinar quais novos recursos estão mais bem alinhados com as metas de negócios e, por fim, como os recursos serão priorizados.

5. Conte-nos sobre um projeto do qual você mais se orgulha.

O que eles estão tentando descobrir: quais são suas qualidades mais fortes e mais fracas?

Essa é uma pergunta complicada porque coloca os candidatos à vontade, o que, por sua vez, permite que o entrevistador faça perguntas de acompanhamento que aprofundam o processo, o pensamento e as interações com outros membros da equipe. Ele permite que o entrevistador avalie a profundidade e a habilidade do candidato sem perguntar diretamente sobre ele. Como resultado, é melhor manter sua resposta verdadeira e clara. Não exagere na sua contribuição para um projeto.

Dica: observe que a pergunta aqui não contém a palavra “UX”. Não há problema em entrar nos domínios mais abrangentes da sua vida em sua resposta.

6. Conte-nos sobre um projeto UX que não foi planejado.

O que eles estão tentando descobrir: você é capaz de avaliar criticamente seu trabalho?

Antes de mais anda, não finja que você nunca teve um projeto assim. Cometer erros é uma parte normal da vida profissional. O que é crítico é como você lida com eles. Você precisa encontrar um exemplo honesto que mostre:

  • O que deu errado
  • Por que deu errado?
  • O que você fez para resolver o fracasso
  • O que você aprendeu com essa experiência

Dica: A chave é reconhecer a sua fraqueza e, em seguida, oferecer uma razão que você poderia transformá-lo em uma força. Todos aprendemos com nossos erros.

7. O que você diria que é a próxima grande tendência no design UX?

O que eles estão tentando descobrir: você pensa em frente?

Use essa pergunta como uma oportunidade para demonstrar sua paixão pelo design UX e seu futuro potencial. Aqui estão alguns tópicos em que você pode se concentrar: O surgimento de novas ferramentas de prototipagem que economizam tempo de desenvolvedores e designers convertendo o design em código. Projetando acessibilidade que permite que usuários de todas as habilidades naveguem, entendam e usem sua interface do usuário com êxito.

Dica: Esta pergunta também é uma ótima oportunidade para falar sobre casos de uso além das telas (por exemplo, realidade virtual / realidade aumentada).

A ascensão de novos meios: realidade virtual (RV). Crédito: Ramotion

Bônus: De onde você tira inspiração? Quem na indústria você segue e lê?

O que eles estão tentando descobrir: o que motiva e inspira você?

Fale sobre os blogs e livros que você leu, as conferências em que participou e os líderes do setor que você segue.

Uma lista dos meus blogs favoritos na indústria (em nenhuma ordem particular):

Lista de pessoas a seguir:

E aqui está uma lista de leitura recomendada para quem quer aprender ou aprofundar seus conhecimentos em UX:

A questão que falta

Você pode estar se perguntando por que essa lista não inclui a onipresente pergunta “Por que devo contratá-lo?”. É porque eu não tenho um guia de como responder. Você tem que descobrir por si mesmo. A única coisa que eu diria é: seja honesto consigo mesmo. Tenha uma ideia clara do motivo pelo qual você gostaria de trabalhar para a empresa, porque, em última análise, seu entusiasmo (ou a falta dele) virá.

Uma última coisa: não faça o roteiro de suas respostas – você acabará parecendo inautêntico. Em vez disso, tenha em mente algumas manchetes importantes (as coisas sobre as quais deseja conversar) antes de começar a responder às perguntas.

Boa sorte e compartilhe nos comentários abaixo como foi a sua entrevista.

Obrigado Mark 🙏

Depois do happy hour que aconteceu na Ironhack, a escola nos ofereceu um ótimo jantar no restaurante vegano PLANTA.

Jantamos a primeira vez no PLANTA este ano com a Nadia e o namorado dela e o prato que mais gostamos foi o prato inspirado na culinária coreana.

Dessa vez conseguimos experimentar diversos pratos e aprender sobre vinhos com o Ariel que é um dos fundadores da Ironhack.

Alguma dicas que me lembro.

  • Ver a coloração do vinho 🍷 através do guardanapo branco. Assim consegue ver a intensidade da cor dele
  • Tentar avaliar o vinho através do tipo de uva, processo de fermentação (como o açúcar transforma em álcool), tipo de solo (a região que do cultivado).
  • Inspire o vinho de olhos fechados. Assim você ativa mais a sua memória olfativa.
  • Camenere são mais herbais, e acho que o Cabernet são mais frutados.
  •  

Recursos para o Sketch em 2019

Flows

Para criar user flows utilizo bibliotecas de elementos prontas pois facilitam a sua vida.

  1. https://useflowkit.com/
  2. https://flow.littlemissrobot.com

Design System

O valor de criar um sistema de design é essencial para escalar um projeto e você não enlouquecer e perder a consistência.

  1. Setting Up a Design System
  2. DSM Sample: https://dsmexample.invisionapp.com/dsm/in-vision-dsm/example-library

Neste post vou começar a coletar e compartilhar alguns dos recursos que utilizo para o meu trabalho.

asd https://sketch.fordesignrs.com/

O que aprendi com a minha primeira turma

Foi a primeira turma que assumi desde que comecei ensinando na IronHack.

O valor de um bom Design System

Quando você precisa acompanhar muitas pessoas e atualizar projetos diferentes você consegue entender o real valor de organizar o design do seu projeto.

Aprender a programar o básico de Front-End vai te dar uma vantagem competitiva no mercado.

Estudar todo dia para melhorar como profissional. Sim, as mudanças são rápidas e elas acontecem diariamente. Se você parar de praticar você não vai evoluir muito.

Você é capaz de aprender qualquer coisa. Alguns alunos não tinham nenhuma experiência com design mas mesmo assim aprenderam muito e conseguiram criar projetos para apresentar no final do curso. Obviamente não podemos comparar com designers mas a evolução foi nítida.

Ilustradores para seguir no Instagram

Aqui são alguns dos ilustradores que estou seguindo pelo Instagram.

1. Josh Hara

Encontrei o trabalho do Josh por acaso no Instagram, quando estava pesquisando sobre cafeterias no mundo. Achei muito criativo o estilo dele e a ideia de desenhar nos copos de papel das cafeterias que ele frequenta.

2. Nathan Pyle

O Nathan criou estes ET’s e o Strange Planet, todos os dias ele posta uma tirinha divertida. Uma ilustração simples e consistente com um humor sarcástico.

3. Vovô Chan

Conheci o trabalho do Vovô Chan quando estava no consulado brasileiro na Coréia em 2018. Entrei na localização do consulado no Instagram e vi um evento passado com a exposição do trabalho dele. Ele morou muitos anos no Brasil e agora voltou morar na Coréia. Ele é a prova viva que você pode começar com qualquer idade. Ele começou a desenhar para os netos e no final viralizou na internet.

4. Jean Jullien

O Jean Jullien, é um ilustrador super famoso, você com certeza já deve ter visto algumas de suas ilustrações no jornal The New York Times. Além do Instagram super criativo ele tem uma linha de roupas com uma marca coreana chamada NOUNOU. Esta camisa está na minha lista de compras.

5. Birdsoup

Este ilustrador de Miami foi apresentado via Instagram para mim pela Farwa. Acho muito criativo as sacadas dele com as fotos em Miami. Vale a visita no perfil do Birdsoup.


O mais interessante no mundo do Instagram de hoje é que muitos artistas não precisam mais de um jornal ou revista para construir o sue espaço e seguidores. Além de conteúdo eles também vendem produtos com as ilustrações, uma outra forma de monetizar sem a necessidade de um grande veículo ou investidor.